PARQUE ATLÂNTICO

V  fot. principal  23352 amvc vista panor mica 1 720 400
Sob o ponto de vista dos espaços verdes urbanos, a frente marítima da cidade de Vila do Conde integra uma extensa área “natural”, com uma dimensão que ultrapassa os dez hectares. Este vasto espaço dunar remanescente, que se designa como “Parque Atlântico”, faz fronteira, em toda a sua extensão, com as principais praias da cidade. Embora localizado em pleno litoral da cidade, e numa área de elevada valorização imobiliária, o Parque Atlântico conseguiu, apesar de tudo, subsistir à voracidade do “betão”. No entanto, a duna remanescente e fragmentada, esteve sujeita, ao longo de muitas décadas, a intensos processos erosivos e a usos indevidos e perniciosos os quais provocaram a sua degradação biofísica e a dissipação da sua dinâmica ecológica. Todavia, o “tempo”, e a talentosa busca de caminhos mais adequados para a requalificação deste espaço urbano singular, tornaram possível, no âmbito do Programa Polis, encontrar soluções inovadoras através de um ousado método de renaturalização do sistema dunar remanescente.
Da reposição das condições “naturais” fez parte integrante um intenso processo de valorização paisagística e a renaturalização de sistema dunar residual. Este último traduziu-se na deposição e na modelação das areias, no revestimento vegetal com espécies autóctones, na instalação de paliçadas de retenção de areias e na formalização de percursos pedonais para travessias das dunas e acesso às praias.
Atualmente, esta paisagem encontra-se já muito consolidada, em grande parte devido à presença de um denso e diversificado coberto vegetal “autóctone”, o qual assegura a estabilidade biofísica do sistema dunar recreado, contribui para a regeneração das funções ecológicas, incrementa a biodiversidade e viabiliza serviços Ecossistémicos, normalmente ausentes destes espaços urbanos.
O Parque Atlântico foi inaugurado em 2005 e o seu projeto é da autoria do Arquiteto Siza Vieira, tendo contado com a colaboração do Engenheiro Agrónomo Manuel Pedro Melo e do Biólogo Henrique Nepomuceno. 

planta do parque

planta do parque

equipamentos

Evidencia-se nas imediações a emblemática Capela de Nossa Senhora da Guia e o Forte de S. João Batista, assim como a estreita proximidade a diversas praias e a um conjunto de equipamentos balneários de caráter temporal, bares, cafés e sanitários públicos. Salienta-se a extensa marginal, para peões e ciclistas, que se desenvolve no interface parque/praias, equipada com bancos, aparelhos de ginástica e bebedouros de apoio às atividades desportivas, lúdicas e recreativas que aí decorrem. 

arte pública

Destaca-se, nas imediações do parque, a presença do “Padrão Comemorativo” que assinala a primeira tentativa de desembarque das tropas liberais, em Vila do Conde, no ano 1832 

flora

Em termos de vegetação, deve evidenciar-se a diversidade de espécies autóctones que compõem o estrato herbáceo e semiarbustivo, com especial dominância para a Ammophila arenaria, embora consociada com a Anagallis monelli;. Mendicago marítima; Convolvus soldanela; Antthylis vulneraria; Arctotis calêndula; Anagallis arvenses; Cheiranthus littoreus.; Silene litórea; Eryngium maritimum; Pancratium maritimum; Sedum acre. 
Address
Av. do Brasil, 4480-659 VILA DO CONDE
Img 4558  vista sobre o parque 1 720 400

Vista sobre o Parque Atlântico

Img 4558  vista sobre o parque 1 720 400